Em 2010 lançaram-nos o repto de reformular a imagem gráfica do Festival ao Largo, evento que se tornou referência na agenda cultural lisboeta desde a sua primeira edição em 2009.


Começamos por decidir dar continuidade ao elemento que se havia assumido como ícone do Festival
– o candeeiro – renovando, contudo, o seu desenho. Com o objectivo de reforçar a estratégia do Festival ao Largo em promover a abertura à sociedade civil de um género de espectáculos normalmente não massificados, optámos pela reinterpretação da calçada portuguesa, uma expressão popular por excelência, para um meio digital e contemporâneo. Para além de garantirmos uma dimensão extra de portugalidade, importante para o turismo internacional, a calçada, como cunho de identidade das nossas ruas, enfatizou a ideia de ar livre, bom tempo e verão, aspectos que naturalmente se queriam associados ao Festival ao Largo.

© Ricardo Brito
Festival ao Largo 2010 © Estúdio João Campos
Festival ao Largo 2010 © Estúdio João Campos
Festival ao Largo 2010 © Estúdio João Campos
Festival ao Largo 2010 © Estúdio João Campos
Festival ao Largo 2010 © Estúdio João Campos
Festival ao Largo 2010 © Estúdio João Campos
Festival ao Largo 2010 © Estúdio João Campos


Festival ao Largo 2011
Após o sucesso da edição do Festival ao Largo 2010, em 2011 optámos por  dar continuidade à estratégia assumida no ano anterior. A azulejaria portuguesa pareceu-nos a solução ideal para renovar
o espírito gráfico, mantendo a identidade criada e reconhecida publicamente. Esta opção permitiu-nos explorar novamente uma expressão popular e tradicional que, tal como a calçada portuguesa,  associava-se facilmente à ideia de rua, ar livre e bom tempo.

Festival ao Largo 2011 © Estúdio João Campos
Festival ao Largo 2011 © Estúdio João Campos
Festival ao Largo 2011 © Estúdio João Campos
Festival ao Largo 2011 © Estúdio João Campos

Festival ao Largo 2010 & 2011

Identidade e Comunicação Gráfica