Tratando-se de uma iniciativa europeia com intuito de aproximar diferentes culturas, a identidade visual criada para este evento pluridisciplinar procurou absorver a variedade cultural, abrindo a marca à comunidade e celebrando a sua diversidade. O desenho base reflecte Guimarães naquilo que é verdadeiramente diferenciador, reconhecido nacionalmente e único na história de Portugal: o papel na fundação da nação. O símbolo agrega alegoricamente a muralha, a viseira do elmo de D. Afonso Henriques e é rematado sob a forma de coração, em evocação do orgulho dos vimaranenses em relação à sua cidade.

 

Inicialmente composta por 26 variações gráficas, a ideia base seria criar um reportório gráfico sem limite, reflexo da variedade, multiplicidade e diversidade cultural, abrindo para isso a possibilidade da criação e utilização de novas versões gráficas do símbolo. Uma marca orgânica e de todos, tal como o evento em si.

Guimarães 2012 © Estúdio João Campos
Guimarães 2012 © Estúdio João Campos
Guimarães 2012 © Estúdio João Campos
Guimarães 2012 © Estúdio João Campos
/images/1346195685.swf
Guimarães 2012 © Estúdio João Campos
Guimarães 2012 © Estúdio João Campos
Guimarães 2012 © Estúdio João Campos
/images/1346196879.swf
Guimarães 2012 © Estúdio João Campos
Guimarães 2012 © Estúdio João Campos

 

«A sociedade é que valida»

Sabíamos de início que o sucesso deste projecto estava intrinsecamente relacionado com a sua aceitação pela comunidade vimaranense. Independentemente da pertinência da solução, do raciocínio conceptual base ou do resultado gráfico e estético, se a marca da Capital Europeia da Cultura falhasse na criação de uma relação emocional efectiva com a população de Guimarães, não estaria a cumprir a sua função principal.

 

Hoje, com algum grau de certeza, podemos afirmar que, mais do que cumprir, a marca Guimarães 2012 tem superado as expectativas. Desde a adopção generalizada do coração como símbolo de Guimarães, incluindo-o na retórica visual associada à cidade, à sua utilização personalizada em cada montra da cidade, formas de bolos e mesmo tatuagens, diversas manifestações, formais e informais, têm provado como o coração se tornou central em Guimarães. De forma inédita, a identidade da Capital Europeia da Cultura enraizou-se na cidade e na sua população.

Guimarães 2012 © Estúdio João Campos
Guimarães 2012 © Estúdio João Campos
Guimarães 2012 © Estúdio João Campos

Guimarães 2012 – Capital Europeia da Cultura

Marca / Identidade Visual